10/03/2018
10-03-2018 - VI Jornada Ciclística Tropeiro Camponez

6ª Ciclo Jornada Carazinho/Passo Fundo (Tropeiro Camponez)

Mais uma vez, o Grupo Escoteiro Cônego Sorg, realizou nos dias 10 e 11 de março a  sua Ciclo Jornada . Foi um belo passeio,  com trajeto de Carazinho a Passo Fundo, até o Tropeiro Camponez, na localidade de Pulador, interior de Passo Fundo.

A saída.

A concentração foi no Trevo do Baixinho, a partir das 7h15min de sábado.  Como nos últimos dias foram de muito calor, decidiu-se que a saída seria mais cedo. Por volta das 7h30min já estavam quase todos prontos para a saída. Depois de carregadas todas as mochilas, barracas e outras tralhas nas camionetes de apoio e fazer um alongamento e uma oração, saíram por volta das 7h45min em direção a Pulador, interior de Passo Fundo.

Custo da Atividade:

O valor cobrado foi de 65,00 por pessoa, que incluía o almoço de sábado, jantar de sábado e esperado café´da manhã de domingo.

O percurso.

Do trevo nos dirigimos pela estrada velha do Parque da Cidade e fomos costeando os trilhos da viação férrea até a Granja de Marcos Mattioti.  Como  a maioria já está mais acostumada com o trajeto, essa primeira parte foi bem tranquila e logo chegamos neste primeiro destino.

Da granja fomos até o asfalto da BR285. Como não existe mais o pedágio e a Polícia Federal naquele local, a travessia foi feita com muita calma em razão do grande fluxo de veículos. Os participantes forma costeando o asfalto até chegar em frente a estrada que acesso que dá acesso ao Distrito de Pulador. Atravessamos com tranquilidade até o outro lado e na placa informativa da direção a Pulador, foi tirada  a tradicional foto dos participantes.

A próxima parada foi na granja de João Leindecker. Mais um pequeno descanso e água. Da granja do Leindecker até o distrito de Pulador foram feitas algumas paradas menores. Chegando em Pulador, mais uma parada de 10 minutos para descanso.  Nesta parada foi informado, faltam 4 kilômetros para o destino, o Tropeiro Camponez. 

Um Participante a Mais

Logo após a saída, percebemos que havia mais um integrante no comboio que se dirigia ao Tropeiro Camponez.  Um cão, que nos seguiu, junto com os ciclistas, mesmo com as tentativas de faze-lo retornar a Pulador. Após dois quilômetros, o Chefe Pedroso e a Margarete Viana, tentaram mais uma vez fazer com o cão desisti-se de prosseguir. Deram água e 2 sanduiches para ele ficar comendo enquanto seguiam a viagem.  Mas não adiantou, parece que ficou com mais energia para seguir o caminho e correu alegremente junto com os demais.

 

A chegada e almoço.

Chegamos ao Sítio às 13h15min. A Família La Corte já nos esperava com o almoço pronto: Churrasco, arroz, feijão, saladas, cuca, pão, suco de laranja, sobremesa e cafezinho. A fome era grande, o almoço muito bom. Todos estavam muito satisfeitos com aquela mesa farta depois de tamanho esforço. Foram quase 5 horas de pedaladas.

 

Atividades da tarde.

Após um breve descanso, as 15h00min, descemos de carretão, puxado pelo velho CBT, até a trilha que nos levou até o mato para fazermos a tradicional Trilha pela sanga “Molha Bunda”, dirigido esta vez pelo Sr. Antônio.   Percorremos todos juntos a trilha, até chegarmos no ponto onde poderiam escolher, continuar a trilha pelo mato ou por dentro do rio. A maioria optou em continuar por dentro do rio, alguns foram pelo mato.

Chegando no campo onde tem a bica, todos se divertiram muito principalmente na água, enquanto a chefia e pais de apoio tomaram um delicioso chimarrão, juntando-se agora o Sr. Leandro, proprietário do Tropeiro Camponez.

Na seqüência todos voltaram de carretão para o jantar, porque a noite já estava chegando. Chegando de volta a  sede, enquanto alguns tomavam banho, outros arrumavam as barracas e os demais jogando vôlei.

Durante todas as atividades, também participou junto o cão que veio de Pulador, que foi batizado temporariamente pelo Chfe Pedroso de Euzébio.

A tardinha, chegaram, após a reunião dos lobinhos, a Ana Silvia, a Rosane e a Maria Fernanda.

Algumas mães de apoio, ficaram em uma cabana, sendo a Luciane, a Ana Silvia, a Margarete, a Rosane e a lobinha Maria Fernanda.  Esta cabana foi usada também para o banho das escoteiras e guias.


Jantar, Trilha Noturna e Conversa ao Pé do Fogo

No jantar teve bife, arroz, feijão, polenta frita, saladas, sucos, batata, queijo na chapa etc.

Por volta das 21 horas, descemos novamente esta vez até o final da trilha, onde foi realizado uma Conversa Ao Pé do Fogo. Chefe Pedroso, Chefe Martin e Chefe Beto, preparam uma bela fogueira, escoteiros e seniores juntaram a madeira e grimpas. Foi um momento de descontração, onde foram puxadas várias canções escoteiras e também contato algumas piadas e principalmente algumas “histórias” arrepiantes, principalmente pelo Willian, Diogo e Pedro Buhler.  Combinado anteriormente com o Sr. Leandro, depois de mais algumas canções, o mesmo se pronunciou, dizendo que não poderíamos ficar mais muito tempo ali, por causa de um Leão Baio que andava rondando a região. Esta na verdade era um sinal para iniciarmos o retorno, que ao contrário de que todos pensavam, não seria no Carretão. Foi feito então o encerramento com a Cadeia da Fraternidade.

Caminhada noturna.

Após o encerramento todos se dirigiram ao Carretão para o retorno, mas logo após passarem o riacho, o Sr, Leandro parou o trator, e então foi dado o aviso pelo Chefe Pedroso, ele e o escoteiro Willian não seguiriam junto, ficando os dois no local.  O motivo é que seria feita a Passagem do escoteiro Willian do Ramo Escoteiro para o Ramo Sênior.

O pessoal então seguiu por mais 200 metros até a curva no carretão, quando então para a surpresa de todos, novamente o trator parou. Desta vez, todos os escoteiros tinham que descer, pois continuariam a viagem a pé, pela mata, no escuro. Os pais e os seniores continuaram com o trator, pelo menos por mais um trecho.

Foi então feita a tradicional caminhada noturna, onde seguiriam o caminho pelo mato escuro, sem lanterneas e dois a dois.  Pelo caminho, alguns seniores escondidos os aguardavam, fazendo alguns barulhos, onde ocorreram alguns sustos ,

Passagem do Escoteiro Willian para o Ramo Sênior

Enquanto isto, o Chefe Pedroso e o escoteiro Willian, aguardaram por um tempo, recordando dos momentos do Willian, desde o tempo de Lobinho, promessa escoteira, acampamentos e demais momentos do Willian como escoteiro. Após algum tempo, Chefe Pedroso deu a ordem que Willian deveria seguir em frente, agora sozinho pela mata também.  Então o Willian saiu, pela escuridão, mais adiante Chefe Martin o aguardava, para também fazer sua despedida do Willian e depois o Chefe Alisson. Mais adiante, no escuro da mata, os integrantes da Patrulha Búfalo, Lucas, Gregori, Pedro Buhler e Ronaldo, também aguardavam o Willian, já que o mesmo era o Monitor da Patrulha.  Após alguns abraços, seguiram juntos, no que seria a última jornada juntos na patrulha. Mais adiante, todos os demais escoteiros e a Chefe Angela também aguardavam o Willian, onde fizeram uma emocionante despedida . Em seguida, seguiram adiante, o Willian, Chefe Pedroso e Chefe Martin, até encontrarem no caminho, alguns seniores o Chefe Beto, do ramo Sênior. Foi então anunciado pelo Chefe Pedroso, que o Willian agora não poderia mais fazer parte do Ramo Escoteiro, deixando-o junto ao Chefe Beto para se integrar ao Ramo Sênior.  Logo após, reuniram-se com os demais Seniores, onde recepcionarem o Willian, fizeram uma caminha noturna, com muita alegria e puxando canções com o Willian. Próximo a Sede, deram um banho no Willian com água e barro, para oficializar o batismo do Willian no Ramo Sênior.


Silêncio

Depois que chegaram da caminhada noturna, iniciaram então a preparação para dormir.  Após um tempo de conversa fiada todos foram dormir, já muito cansados da intensa atividade do dia.


Alvorada e Café da Manhã.

Logo cedo, as 6 da manhã, foi feito a alvorada, onde todos acordaram e começaram a preparação para o retorno a Carazinho.  Alguns ainda estavam cansados e o café teve de ser bem reforçado: Café com leite, cuca, bolos diversos, omelete, pães, chimias, salame, fortaia, revirado de feijão, suco de laranja. Foi aquela comilança para repor todas as energias. Por volta das 8 horas, chegou o Tales e a Aline, pais da escoteira Layza, que iriam ajudar no apoio para o retorno.

Agradecimento e Retorno

Antes da partida, foi feito uma homenagem aos proprietários do Tropeiro Camponez, sendo entregue um troféu, elaborado pelo Chefe Martin, como agradecimento pela hospitalidade e serviços oferecidos durante nossa estadia,

Saímos do Sítio do Tropeiro Camponez por volta das 08h30min. Fizemos o percurso inverso, passando pelo Distrito de Pulador.

No distrito de pulador, também chegou o momento de outra despedida, agora do Ezébio que veio novamente seguindo a todos pelo caminho. Mas perguntados, aos moradores da redondeza onde paramos, ninguém se acusou como dono do Euzébio. Foi então que resolvemos deixa-lo mesmo assim, após todos seguirem a viagem, ficou por último a Margarete, que estava de carro.  Deixou água e bastante comida para o Euzébio, e enquanto ele comia, ela seguiu viagem.

O retorno continuou e  com um breve descando na granja do João Leindeckeer,  até chegar a BR 285, que foi ultrapassada por volta do 11h30min. Breve descanso novamente na granja de Marco Mattiotti. Depois voltamos pela estrada de chão batido até alcançar a estrada velha do Parque da Cidade para, enfim, chegar no Trevo do Baixinho, onde os pais já aguardavam ansiosamente pelo retorno de todos.

 

Fotos na galeria de fotos.

 

 

Umas e Outras da Jornada .....

- Um agradecimento especial ao Luiz, pelos Caquis, salvou muita gente durante a jornada.

- Muita gente de luvas para a jornada, mas só o Chefe Pedroso, na Torpedo, estava de luva de lã, apesar do calor;

- Histórias arrepiantes ao redor do fogo no sábado a noite;

- A Margarete levou a sério a história do Leão Baio, a porta da cabana não ficou mais nenhum momento aberta;

- O Fabiano, pai da Ana foi de apoio e após a chegada retornou, e trouxe junto a bicicleta da Ana, dizendo “Ela não vai conseguir”, mas a Ana.......;

- A Laiza travou na caminhada noturna;

- Na ida, após Pulador,  encontramos o Véio do Saco, para a surpresa de todos, no café da manhã ele apareceu de novo;

- O Willian lembrou que não convidou o Pai e Mãe para a sua promessa escoteira, arrependimento....

- Na trilha pelo rio, mesmo com os pés molhados, o Elias não quis terminar pela parte mais funda para não molhar a roupa, quis ir pela corda da falsa baiana, não deu certo ...

- Tinha uma barraca que parecia uma artilharia da Batalha do Pulador, bombinhas e rojões e tiros;

- Alguns tiveram câimbras, tanto na ida como na volta, menos o da Torpedo;

- Alguns caíram, menos o da Torpedo;

- Muitas bicicletas estragaram durante a jornada, menos a Torpedo;

- Devido ao chão seco, com muitas pedras, várias bicicletas furaram o pneu, a Torpedo não;

- Muitos integrantes, devido a várias circunstâncias, andaram em várias bicicletas, menos na Torpedo.

- Chefe Beto bateu o recorde, andou em 4 bicicletas;

- Várias bicicletas foram consertadas pelo chefe Martin e pelo Chefe Antônio;

- Chefe Antônio o único a conhecer bem a espetacular tecnologia da Torpedo;

- Pergunta e resposta mais ouvida : “Vai para a Camionete para descansar ??”, “Não, vim de bicicleta, vou voltar de bicicleta !!!”;

- Mas depois de algum tempo..... , “ Ta bom, vou para a camionete !!”;

- O cão Euzébio participou junto de todas as atividades, tanto de dia como de noite, sempre muito educado e tranquilo;

 - Até o Tales pedalou na volta, também se não voltasse de bicicleta não teria lugar na camionete;

- Se o Tales não tivesse ido para o retorno, não sabemos como voltariam as bicicletas com problemas...

Participantes de bicicleta

Escoteiros :

- Amanda;
- Ana
- Igor;
- João Pedro;
- Layza
- Lucas;
- Luiz;
- Gabriel Rohr;
- Gregory;
- Ronaldo;
- Pedro Buhler;
- Willian;

Seniores:
- André;
- Diogo;
- Eduarda;
- Elias;
- João Vitor;
- Leonardo Piovesan;
- Matheus;
- Paola;

 

Chefia
- Angela
- Alisson
- Antônio
- Beto
- Martin

Diretoria e Pais de Apoio
- Ana Silvia
- Luciane
- Margarete
- Rosane
- Fabiano Carvalho, pai da Ana ( na ida)
- Tales e Aline ( na volta );
- Pai da Ana ( na ida );

Acompanhantes

- Lobinho Vinicius
- Lobinha Maria Fernanda
- Dudu, filho do Chefe Antônio

- Euzéibio

Texto :  Pedro Luis Sales Pedroso, o da Torpedo.

Voltar