04/10/2015
Acampamento Dia do Lobinho - 2015

O Grupo Escoteiro Cônego Sorg realizou mais uma atividade.

Nos dias 03 e 04 de outubro de 2015 a Alcateia acampou na propriedade rural de Zenaide Knop em comemoração ao Dia do Lobinho.

O Transporte:

Foi realizado de carro, pelos pais e chefia de lobos. Vale dizer que o transporte seria de ônibus, mas por causa de mal entendido do proprietário da empresa, o ônibus não apareceu.

Cada lobinho contribuiu com R$ 10,00 para custear o transporte e a chefia de lobos iria pagar o restante, uma vez que o caixa do grupo está zerado.

Como não teve ônibus, os valores recolhidos serão devolvidos aos pais pela ch. Rosane na reunião do dia 10-10.

O Local

Uma estrutura muito boa. Os lobinhos do Cônego Sorg já acamparam lá no Dia do Lobinho de 2013. Muito bonito,  tranquilo e seguro.

A Chegada.

Chegando ao local os pais descarregaram as tralhas e se despediram dos filhos. Depois de organizados os mantimentos de cozinha foi hasteada a Bandeira Nacional e, na sequência, a montagem das barracas. Meninos para um lado, meninas para outro. As barracas foram montadas pelos lobinhos mais experientes, os novatos observavam e auxiliavam no que podiam, tudo sob a orientação da chefia de lobo. 

Bandeira.

Depois de tudo organizado, Akelá Regina chamou os lobos para a Bandeira, que foi hasteada pelo Rohr e pela Daia.

As Equipes:

Os lobinhos participantes foram divididos em 4 equipes: Shere-Kan, Baghera, Kaá e Raksha.

Os Jogos e Avaliação:

Foram realizados vários jogos, entre eles Alerta, Buldogue, Kim Furtivo, Estrela, Enigmas em Zenit Polar, Chuva Doce, Geométrico e jogos de integração.

As equipes foram avaliadas também pela organização das mesas e das barracas, o grito de guerra, esquetes, canções e palmatória da lamparada, bom humor.

A Cozinha:

O chefe de cozinha foi o ch. Jota. Teve carreteiro escoteiro no sábado à noite e no domingo ao meio dia, massa, molho de carne com batata. Saladas de repolho, tomate e cenoura.

Como se tratava do Dia do Lobinho, cada lobinho teve o direito de levar para o café da manhã um achocolatado pequeno, já que os achocolatados está proibidos em acampamentos devido aos excessos.

Os todinhos foram recolhidos na chegada, nominados e entregues durante o café da manhã.

A Bebida:

Ch. Marlene preparou em casa vários litros pet com calda de limão congelada. No momento das refeições e lanche foi servido somente limonada.

Alguns não gostaram de início, mas depois que provavam, voltavam para pegar mais limonada geladinha. 

A bebida da chefia foi chimarrão. Rolou muito chimarrão.

A Lamparada.

Como havia muito vento (e vento estava muito frio), a chefia de lobo decidiu por fazer uma lamparada.

O tema foi Uma Boa Ação Divertida, que foi desenvolvido pelas quatro equipes. Os escoteiros presentes (Barden e Kapp), acompanhados da Ch. Rosane e da Marta Marchiori ainda fizeram esquetes do Bichinho Verde e do Djumbo.

A Caminhada Noturna:

Depois da Lamparada todos se prepararam para a caminhada noturna. As lanternas foram recolhidas.

A caminhada não foi muito longe por que o vento estava muito forte e frio. Para prevenir dor de ouvido ou gripe, voltamos depois de meia hora de caminhada.

A Surpresa:

Voltando da caminhada, a ch. Marlene distribuiu Marschmelow. Antes da comilança foi cantado Parabéns para o ch. Pedroso que aniversaria no dia 04 de outubro, bem no Dia do Lobinho.

O Silêncio.

Após a comilança e escovação de dentes, os lobinhos foram dormir. Akelá Regina, ch. Marlene, ch. Pedroso e ch. Rosane foram de barraca em barraca orientar todos para a noite, verificando as cobertas, as barracas porque a noite estava muito fria.

Depois disso, a chefia ficou no quiosque tomando chimarrão e chá até às 3:30, fazendo avaliação do dia e organizando a atividade de domingo.

A Alvorada

A alvorada era para ser às 7:00, mas ainda não era 6 horas da manhã e já tinha dois lobinhos correndo atrás de cachorro da granja, mesmo com frio de cerração.

O ch. Jota logo acalmou eles.

Para não acordar os demais lobinhos que ainda dormiam, levou o Alemão e o Romanzini até a cozinha para que lavassem um pouco de louça.

Depois da louça, varreram o quiosque. Cada lobinho que levantou antes do horário combinado ganhou vassoura, pazinha etc e foram se esquentando porque estava muito frio naquele horário.

O primeiro a ganhar uma vassoura foi o Guiguis, seguido da Alana, o Murilo. Dali a pouco não tinha mais vassoura. Todos estavam em pé.

A Espiritualidade:

O acampamento foi contemplado com dois cantos de espiritualidade, o primeiro ficou por conta do Kapp e Barden, e o segundo, por conta da Paola. Os três queriam passar passar provas de progressão escoteira. Ficou muito bonito e místico.

Primeiro fizeram uma cruz de taquara aberta, colocaram serragem e querosene. Depois, fizeram uma cruz e uma flor de liz no chão, com serragem e óleo diesel. A serragem na cruz foi queimando enquanto de desenrolava a espitirualidade. 

Como o momento da espiritualidade já tinha ocorrido, os lobinhos foram convidados para visitar o canto da espiritualidade confeccionado pela Paola. Assim que eles chegaram no local, foi posto fogo nas figuras. Os lobinhos ficaram muito impressionados.

Ficou lindo, segundo a Akelá Regina.

As Promessas

À tarde foram realizadas as promessas de mais dois lobinhos. A lobinha Laysa Maria de Lima e o lobinho Gabriel Correa Matiotti fizeram a Promessa na presença de pais e familiares.

A Laysa convidou a Alana para madrinha e o Matiotti convidou a lobinha Daiana para sua madrinha.

Foram guardas da Bandeira Nacional o escoteiro Gabriel Barden e os lobinhos Gabriel Rohr e Mariane Schneider da Silva.

A Akelá Regina quebrou o protocolo, e pediu para a Aline (mãe da Laysa) entregar o distintivo de Promessa. Foi muito emocionante.

Ch. Rosane colocou o distintivo de Promessa no Matiotti e a ch. Marlene entregou os certificados de Promessa.

Cruzeiro do Sul.

A Lobinha Daiana Tainá Silva Ketter recebeu das mãos da Akelá Regina e de toda sua família (pais, irmã e avó) o merecido distintivo Cruzeiro do Sul. Tanto a Daia como seus familiares e chefia de lobo ficaram muito emocionados com os discursos de incentivo e de agradecimento pela conquista. Agora temos mais uma lobinha que entrou na galeria que está sendo criada pelo ch. Pedroso.

No final, recebeu o mimo que a Akelá dá aos lobinhos Cruzeiro do Sul. A Akelá também recebeu um presentinho de agradecimento da Daia. Um apito bem legal.

Parabéns Daia. Que agora você tenha uma excelente vida escoteira, assim como teve uma excelente vida na alcateia. 

As Equipes e a Pontuação

Equipe Shere-Khan – 41 pontos

Gabriel Bernardi Rohr (líder)

Wellerson Borba

João Apolinário de Araújo

Laysa Maria de Lima

Samuel Eduardo Goulart (vice)

Grito de Guerra:

Pisa, esmaga

faz suco de limão

porque nossa força maior

vem da nossa União

 

Equipe Baghera – 39 pontos

Guilherme Becker Guimarães (líder)

Nayani Diefenthaler de Castro

Gabriel Correa Matiottti

Taylany Werle

Alana Schreiner (vice)

Grito de Guerra

Fortes e ágeis

viemos lutar

com força e determinação

a equipe Baghera irá ganhar

 

Equipe Kaá – 45 pontos – 1º lugar

Mariane Schneider da Silva (líder)

Raquel Kinder Soares

Sthefany Nicoli de Almeida

Maria Fernanda Rohr

Leonardo Miguel Foltz (vice)

Grito de Guerra

Rastejando pelo chão

fazendo boa ação

equipe Kaá, 

Vamos arrasar

 

Equipe Raksha – 44 pontos

Daiana Tainá Silva Ketter (líder)

Amanda Marchiori Soares

Cauã Romanzini de Castro

Murilo Morais Romanzini

Gabriel de Paula Ries (vice)

Grito de Guerra

Que barulho é esse que parece um furação

É a Raksha entrando em ação

Que adotou o Mowgli sem qualquer preocupação

E ajuda Mowgli em qualquer situação

Encerramento:

Depois que o escoteiro Barden anunciou a classificação do acampamento, foi chamada a proprietária da granja, Sra. Zenaide para receber uma vibrante palma escoteira.

A chefia, em nome da diretoria, agradeceu a ela por ter "aberto a porteira da granja" para os lobinhos acamparem e que os proprietários rurais são muito importantes para o desenvolvimento da prática do escotismo.

Zenaide agradeceu e se colocou à disposição sempre que o GE Cônego Sorg quiser voltar a acampar na sua propriedade e se disse emocionada com aquela criançada toda acampando em sua sede e encantada pela organização dos adultos.

O Retorno:

Depois de um grande pente fino nos gramados e no quiosque, os lobinhos retornaram para a cidade. A surpresa foi quando ch. Jota e Rodrigo Ries chegaram na sede escoteira para descarregar o material. 

A festa do Colégio em homenagem ao Dia de São Francisco de Assis ainda não tinha terminado, e não havia como descarregar o material. O material foi levado para casa do ch. Jota  e está lá, aguardando que alguém vá buscá-lo.

Agradecimento

Aqui vai um agradecimento especial para o Escoteiro Gabriel Barden que muito auxiliou nas bases, na preparação das bases, na bandeira, no controle de pontuação, na lamparada. Parabéns Barden.

Umas e Outras

- Chefe Jota iria colocar salada no prato do Wellerson (Alemão). Ele disse: "não chefe, minha mãe disse que não posso comer salada porque tenho reflexo na barriga. Seria refluxo no estômago?

- Achados e perdidos muito importante: Sobrou no acampamento um casaco marrom. Não vai ser revelado o nome do proprietário mas ele estava de aniversário. Na segundafeira estava procurando o casaco porque todos os seus documentos ficaram nele. De quem será esse casaco?

- Chefe Marlene serviu limonada para o ch. Jota. Num penico !!

- A caminhada noturna aconteceu depois duma triste história contada pelo ch. Jota duma velinha que fazia tricô e dum touro muito bravo que tinha por ali. Os chefes quase não conseguiam caminhar de tão perto que os valentes lobinhos estavam. Os que não podiam segurar na mão, seguravam no braço, no casaco, nas pernas....

- Às 6 horas da manhã, para não acordar os demais lobinhos que ainda dormiam, ch. Jota levou o Alemão e o Romanzini até a cozinha para que lavassem um pouco de louça.

- Depois da louça, varreram o quiosque. Cada lobinho que levantou antes do horário combinado ganhou vassoura, pazinha etc e foram varrendo e se esquentando porque estava muito frio naquele horário.

- O primeiro a ganhar uma vassoura foi o Guiguis, seguido da Alana, do Murilo..... Dali a pouco não tinha mais vassoura. Todos estavam em pé.

- O Murilo foi flagrado lavando panelão de manhã bem cedinho (vide foto).

- O Guiguis e o Leo Foltz foram para casa mais cedo porque tinham um aniversário para ir. Antes da partida o Guiguis ganhou sua parte da premiação do Acampamento de Inverno, que foi vencido pela equipe Avatar.

- O Lê Foltz saiu tão rápido que esqueceu do uniforme no acampamento. Acho que, no fundo, no fundo, gostaria de ter ficado.

- O Barden jura que viu ch. Jota à noite, perto do carro do ch. Pedroso; quando entrou na cozinha, deu de cara com ch. Jota, acomodado em uma cadeira. Ch. Jota jura que não saiu da cozinha e que apenas ouviu um grito assustador vindo lá de fora. 

- Um grito de pavor na escuridão !

- Papo de um líder acerca do personagem mais mencionado em todo o acampamento: não interessa, não quero mais ele na minha equipe, vou jogar ele fora!!! Que falta de paciência com o guri, só porque ele muito ativo, bagunceiro, distraído, elétrico...Alemão rejeitando Alemão.

- as esquetes estavam muito boas. Muito criativas. Provaram que o escotismo funciona assim mesmo: não é o chefe que faz o teatro; o ator principal é o jovem.

- ch. Pedro provou mais uma vez que não se dá muito como rabo quente. A vítima desta vez foi a ch. Marlene. 

- os líderes das equipes mostraram que sabem aprender com os mais antigos: lideraram suas equipes tão bem quanto os grandes líderes dos acampamentos de integração. Parabéns a eles e parabéns aos seus "professores" escoteiros e seniores.

- Teve lobo que concordou em fazer soro no hospital, porque "precisava" ir no acampamento. Esse é de fé!

- A Tayllany descobriu a duras penas que a cabeça do Romanzini é dura! O Romanzini diz a mesma coisa da Tay. Resultado de um jogo de bocha.

- O Alemão e a Nayiane fizeram o mesmo teste, mas no jogo da Estrela.

- Fez sucesso a baciada de jabuticaba que a ch. Marlene trouxe para o acampamento. Akelá pediu algumas para plantar, mas não sobrou uma para contar história, que dirá para plantar.

- A Chuva Doce foi a maior já vista nos últimos tempos: 450 balas. Durante a repartição das balas, teve lobinho desistindo de esperar pelas suas de tanta bala.

- O mini zoo que havia no local encantou os lobinhos: pavão, galinha, ema, cachorros, galinha de angola, narcejas...

- teve lobo que jura que comeu mais de dez marshmallows. Será???

- O João Apolinário foi até o ch. Jota que tava fazendo o carreteiro e perguntou: Chefe - Amanhã vai ter churrasco? O chefe respondeu. Não João. Que coincidência, todos os pais mandaram carne picadinha, e não consigo enfiar elas no espeto. Saiu decepcionado, dizendo. Ah, por que eles fizeram isso ?

- O Bichinho Verde contratou de última hora a ch. Rosane e a Marta para participar da Esquete. Se  saíram muito bem.

- O Matiotti perguntou o porque daquele cortador de unhas perto do fogão. Resposta do ch. Jota: Prá temperar o carreteiro. Vocês não gostam de roer unha. Então eu tô colocando no carreteiro o que vocês gostam.

- O Guiguis ficou muito feliz quando chegou e reconheceu o local embaixo da árvore que ele e a Mariane fizeram a Promessa em 2013.

- O bichinho verde não atacou nenhuma barraca no acampamento.

- A preocupação de um pai: Mas eles vão dormir nas barracas mesmo? Sim. Vão montar as barracas depois que os pais forem embora, e vão dormir nelas.

- Teve confisco de contrabando. E teve  contrabandista entregando contrabandista (Ah, mas fulano também tem. Tá recheado).

- O resultado do acampamento confirmou aquilo que a Akelá não cansa de repetir: um ponto define um acampamento.

Por ch. Jota. 

Fotos na Galeria

Demais Participantes:

Velhos Lobos

Akelá Regina Sincas

Marlene Cólvero

Pedro Luis Salles Pedroso

Rosane Bernardi

Diretor Técnico

João Kressin

Escoteiros

Gabriel Barden

Lucas Kapp

Paola Vianna (domingo)

Outros ajudantes

Margarete de Quadros

Marta Marchiori

Elissa Kressin (bases domingo)

Eduardo Xavier (bases domingo)

Voltar