28/03/2015
Acampamento de Graduados

O Acampamento foi na Granja Capão do Leão, de Luiz Fernando Pasquetti, com início às 10 horas da manhã.  O transporte foi individual. O encontro foi na sede escoteira para carregamento do material.

Os Jogos

Como era um acampamento de instrução, foi realizado apenas um jogo recreativo, e somente foi realizado esse jogo porque dois escoteiros tinham de passar a prova de organizar e aplicar um jogo.

As refeições

Todas as refeições foram feitas com fogo de chão ou em fogão suspenso. As comidas mateiras estavam muito boas. Teve rocambole de carne recheado com queijo bacon, CENOURA (!!!!)  e tempero, massa com molho branco, pão de caçador, bife, pizza feita na hora (desde a massa), sobremesas. Um cardápio bem variado e muito bem preparado.

Pioneirias

Foram feitas muitas pioneirias. O grupo investiu em luvas de couro para não haver mais problemas com pronto socorro. Havia no local taquaras com e sem espinho. Foram construídos dois fogões suspensos e vários abrigos naturais para passar a noite. Um desses abrigos era suspenso com capacidade para dois escoteiros dormir (eles dormiram! Mas não se mexeram a madrugada toda).

Fogo de Conselho

O Kapp precisava passar uma prova, e puxou o fogo de conselho com auxilio e supervisão do ch. Pedroso. Foram muitas canções e esquetes. As esquetes eram livres, e resolveram apresentar esquetes de lendas brasileiras. Ch. Pedroso também apresentou a esquete do ventilador. Como havia muito vento e a fumaça estava castigando todos, o encerramento do fogo de conselho foi no fogo de chão no canto da Tropa Athena, que ainda estava acesso. Foi um momento muito especial porque, enquanto cantávamos,  o ch. Araújo circulava em volta do círculo da fraternidade, tocando com seu violão a canção da despedida. Inesquecível!

Depois de encerrado o fogo de conselho teve marshmallow patrocinado pela Lu. Enquanto circulava o marshmallow o ch. Araújo puxou várias músicas ao redor do fogo. Desde o Canto Alegretense até Faroeste Caboclo. Muita música boa em seu repertório.

Corte de Honra

Os monitores presentes participaram da Corte de Honra, que foi realizada ao redor da fogueira do fogo de conselho. Foram discutidos vários assuntos, entre eles foi eleito o submonitor da patrulha Raposa que está sem submonitor. Também foi falado sobre a situação de alguns patrulheiros e mais alguns assuntos. A pauta tinha 6 assuntos que não podem ser comentados aqui pelo dever de sigilo que todos prestam em Cortes de Honra.

Ronda

Foram feitos 3 períodos de ronda. A ronda iniciou às 2:15 em períodos alternados e foi até às 7 da manhã. Além do cuidado com o acampamento, os escoteiros da ronda tiveram de cuidar de duas fogueiras do acampamento bem como de duas bandeirolas colocadas estrategicamente em dois pontos do acampamento. Na última ronda uma das bandeirolas sumiu sem que os patrulheiros da ronda notassem. Ou estavam dormindo ou o papo estava muito bom.

1º turno – Diogo (ele conseguiu ficar acordado) e Leo Weissheimer

2º  turno – Ana Gabrieli, Samira e Julhia

3º  turno – Matheus e Gui K

Alvorada

A alvorada foi às 7 horas. Estava muito frio pela manhã. Foi uma madrugada clara mas com um vento muito frio.

A cerca elétrica

Em razão de cavalos, gado etc, foi deixada ligada a cerca elétrica. Muitos tomaram choque.
Chefia, escoteiros, escoteiras.

Não escapou ninguém.

Jornada

No domingo de manhã, logo depois do café da manhã, todos saíram em jornada. Foi feito um Percurso de Gilwell de uma hora e meia. Nesse percurso foram marcados os graus com bússola, a distância com passo escoteiro, o relevo e a paisagem. Também foram recolhidas pegadas de animais com gesso. As duas tropas fizeram suas anotações em separado. Agora falta somente colocar isso tudo no papel, ou seja, fazer o mapa do Percurso de Gilwell. No retorno foi feita a limpeza da estrada de todo o lixo existente.

Ch. Renata e ch. Araújo tiveram de ir até a cidade no domingo pela manhã para acompanhar uma atividade do Mofecom na Praça Brasil organizada pelo escoteiro Barden. Voltaram um pouco  chateados porque ninguém mais do grupo escoteiro compareceu na atividade (nem jovens nem adultos), apesar dos convites feitos nas reuniões e pelo face do grupo. Por outro lado, o Barden mostrou que tem muita força de vontade em perseguir seus objetivos: vestiu a fantasia e fez tudo o que tinha sido planejado para a atividade. Parabéns, Barden.

As refeições da chefia

Além de experimentar a comida mateira das tropas, a chefia foi muito bem alimentada. A ch. Renata preparou um carreteiro muito bom no sábado ao meio dia. À noite teve rocambole do ch. Pedroso. No café da manhã de domingo teve fortaia. E o chimarrão circulou durante todo o acampamento.

Visitas

Durante o acampamento tivemos algumas visitas. Luiz Fernando Pasquetti e família e sua sogra D. Anye Suss, Roberto Hartmann, André, Cleusa, Arthur, Andréia. Lu Pedroso e Margarete de Quadros foram à tardinha e ficaram até o final do fogo de conselho. A Margarete já tinha ido no início e desempenhou um encargo de limpeza muito importantíssimo: retirou (tentou) os dejetos bovinos!

Almoço de Domingo

Para render mais o acampamento, foi decidido um almoço diferente no domingo. O almoço foi PL, assado pelo ch. Pedroso e ch. Araújo. As 13:00 o acampamento foi desativado e todos subiram até a sede da granja para almoçar. As mochilas estavam prontas para quando os pais chegassem, pois o horário de encerramento foi marcado para às 14 horas.

Foi uma decisão muito prática, porque rendeu mais a possibilidade de passagem de provas no domingo pela manhã sem a preocupação do almoço.

Momento Espiritual

O momento espiritual foi organizado pela Samira, auxiliada pelo Gustton. O local era muito propício a reflexões e a sintonia com a natureza foi tão grande que fomos brindados com a presença de uma borboleta que se aquerenciou no ombro do ch. Pedroso.

Cedro

Na entrada da granja, do lado da porteira, tem um pequeno cedro plantado. A ch. Regina levou outro que tinha cultivado em casa e o Gustton o plantou. A semente desse cedro foi colhida na Praça Brasil (daquele que tem atrás do quiosque) e estava sendo cuidada há tempos para fazer companhia àquele cedro da porteira do Capão do Leão.

Técnicas de Sapa

No domingo pela manhã o ch. Beto foi até o acampamento para passar a especialidade de técnicas de sapa. Acompanhou o Percurso de Gilwell e no retorno aplicou a especialidade para algumas escoteiras.

Provas

Foram passadas várias provas, tais como tipos de fogueiras, filtro de água, construção de abrigo natural, de fogão suspenso, comida mateira, pionieirias, canções e esquetes de fogo de conselho, percurso de Gilwell, pegadas de animais, ecologia, sapa, amarras etc.

Encerramento

O encerramento foi às 14:20, com arriamento da Bandeira pelos escoteiros Samira e Guilherme K.

Umas e Outras

Ch. Araújo e ch. Renata inaugurando uniformes.

Ch. Pedroso e Kapp estão fortinhos. Os banquinhos não aguentaram

Um escoteiro foi dormir com serrote. Serrou muito durante a noite.

Meeeeeelaaaaaaaancia !!!

O abrigo aéreo do Gustton e do Kapp estava bem forte, mas quando subiram  ele começou estourar as taquaras. Parecia que ia tudo ao chão. Parecia..... mas não foi. Dormiram tranquilamente durante toda à noite. Amanheceram duros e rengos.

A meia verde do André vai acabar amadurecendo.

Passaram frio: Diogo, Kapp e ch. Pedroso. Esqueceram dos casacos.

Matheus Pedroso e Gui K na última ronda – sumiu a bandeirola.

Marschmalow patrocinado pela Lu Pedroso

Uma das éguas da Granja gostou muito da escoteirada acampada. No momento da Bandeira ela foi se chegando, se chegando, e quase entrou em forma junto com a tropa Athena. Vide fotos.

Teve dois escoteiros que ajudaram a erguer os abrigos natural, mas na hora de dormir foram prás barracas. Amarelaram.

Tem escoteiro que acha que basta  ficar olhando para o fogo que ele não apaga.

Gritaria e corre-corre no fogo de conselho. As meninas juram que tinha alguém caminhando no escuro prô lado do banhado.

Desta vez a Lu não levou ninguém ferido para o hospital.

Ausências importantes -  Homero, Ruiz e Raul.

A bússola do ch. Pedroso não quis funcionar. Não teve jeito

O almoço do domingo foi um luxo só. Parabéns aos chefes, ali havia mais que comida e suco; havia afeto.

Ch. Pedroso e os que encontraram as pegadas durante a travessia juram que são de felino e dos grandes!!!!

Acham mais: que ele estava ali por perto e, na próxima vez, vai atrás daqueles que ficaram ali cheirando as pegadas. Tem escoteiro com muito medo disso.

Momento mágico no café da manhã: o Diogo tirou do bornal um salame todo embrulhado no alumínio. A tropa masculina parou de falar na hora... Suspense... Todos os olharem voltados para os dois (para o Diogo e o Salame)... o Diogo desembrulhou o salame... não notou o silêncio... cortou DOIS pedaços ... deixou de lado... embrulhou o salame novamente no alumínio... guardou no bornal... devorou os dois pedaços... e a tropa (decepcionada)... voltou a falar. 

E por falar em "falar", a frase da atividade: "Nunca imaginei que isso iria acontecer - O Gui K está mudo". Autoria do Kapp por conta da dor de garganta que emudeceu o Gui K.

Veja fotos em http://www.escoteirosconegosorg.org.br/galerias.php?id=215

Participantes

Tropa Athena

Ana Gabrieli da Silva

Julhia Rabuske

Julia Vieira

Nathalia Pedroso

Paola Vianna

Rafaela Vieira

Samira Pimentel

Tropa Órion

André Reis

Diogo Dal Castell

Guilherme Kuhn

Gustton Ries

Leonardo Weissheimer

Lucas Kapp

Matheus Pedroso

Chefia

Anderson Araújo

Beto Dal Castell (domingo)

João Kressin

Pedro Pedroso

Regina Sincas

Renata Dengaten

Visitas

Andcré e Cleusa (André)

Anye Süss

Arthur e Andréia (Julhia)

Lu Pedroso (diretoria)

Luiz Fernando Pasquetti e família

Margarete de Quadros (Paola)

Roberto Hartmann

 

 

 

 

 

Voltar