01/10/2013
Plano Municipal de Saúde

Sexta-feira (27/09), enquanto a Diretoria realizava um Indaba na residência da presidente Susana Thiesen, a escotista Kênia Becker Guimarães (ramo lobo) representou o Grupo Escoteiro Cônego Sorg na Plenária de Discussão e Construção do Plano de Saúde do Município de Carazinho, realizada nas dependências do Salão Nobre do Hospital Comunitário de Carazinho.  Presente, também, o Pioneiro Jonathã Kemmerich.

Kênia tem formação superior na área de Saúde, motivo pelo qual foi destacada para representar o GECS nesse evento que teve participação de várias entidades públicas, privadas e civis do município.

Veja, abaixo, suas impressões sobre esse reunião.

“O Grupo Escoteiro Cônego Sorg participou dia 27/09/13 da Plenária de Discussão e Construção do Plano Municipal de Saúde realizada no Salão Nobre do HCC disponibilizada pela Secretaria Municipal da Saúde ma qual teve participação de várias entidades da nossa comunidade para realizar a construção de um plano municipal de saúde.

Foi abordado quanto custa a saúde em nosso município, pois há existência de um financiamento tripartite que engloba União, Estados e Municípios para o qual necessário realizar um investimento mínimo municipal de 15% do orçamento anual (hoje nossa realidade atinge em torno de 20%).

Para que participar ? Para construir, melhorar e fiscalizar, fazendo parte das associações de bairros para levantar as necessidades de cada bairro para ser abordado na Conferência Municipal da Saúde de se realizar dia 17/10/13 às 18h no Colégio Aparecida.

Nessa nova reunião será montado o Plano Municipal de Saúde a fim de definir os rumos da saúde publica em nosso município para os próximos quatro anos. Plano este que já iniciou há alguns meses para compilar dados a respeito do perfil sócio-econômico, espaço físico da Unidade de saúde de cada bairro, perfil da população e suas necessidades envolvendo taxas de mortalidade, natalidade como uma das bases do levantamento.

Preconizando a Assistência Linha de Cuidado, na qual cada grupo centralizado avalia quais os problemas e metas que o município deve cumprir  com participação da comunidade para analisar e colocar os problemas da saúde com sugestões de melhorias.

Esta Linha de Cuidado parte do nível primário, que é a Unidade Básica de Saúde do bairro, passando para secundário que é o CEM (Centro de Especialidades Medicas), serviços de HIV, hepatite seguindo então ao nível terciário que compreende o hospital; partindo de um fluxo assistencial desde a função do Agente de Saúde até mesmo da equipe de saúde que visita o domicilio e depois, quando vai para o hospital e quando volta, no intuito de melhorar a assistência dos usuários da saúde. Essas mudanças fazem parte do protocolo do Ministério da Saúde, facilitando o acesso ao usuário do sistema de saúde.”

Kênia Guimarães

Voltar