19/08/2013
Acampamento 30 Anos GE Tapejara

O Grupo Escoteiro Cônego Sorg se fez presente no acampamento comemorativo de 30 anos de fundação do Grupo Escoteiro Tapejara, em Tapejara- RS.

A delegação, composta de 43 integrantes, foi ao evento com ônibus fretado da empresa Heliotur, com as despesas do transporte pagas pelo GECS.

Ramo Escoteiro

Chegando ao local do acampamento foi escolhido um disputado espaço numa pontinha de mato do Parque de Rodeios, e lá foi instalado o Campo Escoteiro, e montada uma cozinha. Enquanto o acampamento era montado a Salete fez um delicioso carreteiro escoteiro para chefia, lobos e escoteiros, porque a primeira refeição não estava incluída no valor da atividade.

Os escoteiros levaram  taquaras e foi feita uma pioneiria para colocação do banner do grupo.

Todas as patrulhas participantes foram organizadas em 4 tropas escoteiras. Como o GECS levou 4 patrulhas, ficou uma patrulha do grupo em cada tropa escoteira.

Havia várias bases, todas de integração, pois o acampamento era festivo. Tinha tirolesa, vôlei, campo minado, primeiros socorros, demonstração de rádio amadorismo, artes cênicas etc.

Os escoteiros foram acompanhados pelos escotistas Carlos Alberto Dal Castell, Olmir Paludo, Regina Sincas e pelo pioneiro Jonathan Kemmerich.

Especialidades

As bases de especialidades não valerão para as especialidades do Ge Cônego Sorg, pois foram apenas demonstrativas. Escotismo é aprender fazendo.  A organização do evento teve muita boa vontade, mas como eram muitos os escoteiros não havia possibilidade de se aprender a ponto de receber especialidades, ou itens de uma especialidade, que para a chefia do GECS é muito importante a conquista de especialidades, pois são os primeiros passos para conquistas maiores.

Ramo Lobinho

Os lobos ficaram acantonados no pavilhão do Parque de Rodeios. A organização colocou muitos papelões no chão para proteção contra o frio e umidade. Sobre os papelões foram colocadas as lonas. Havia alcatéias do GE Cônego Sorg, GE Tupinambás, GE Acauã e GE Tapejara. O GECS levou 3 matilhas.

As matilhas de todos os grupos foram misturadas, e cada chefe ficou responsável por uma matilha. Ficou um tanto dificultoso o controle, pois em cada matilha tinha lobos dos mais variados grupos escoteiros, e cada um com suas manias.

Os jogos foram de integração. Nos intervalos as chefias das respectivas alcatéias puxaram canções escoteiras. No domingo as bases foram melhores. Havia uma pista de bases que deveriam ser cumpridas. Em cada base a matilha recebia uma peça de quebra-cabeça e no final, se cumpridas todas as bases, o quebra cabeça era montado.

No domingo, depois do almoço, os lobos ainda tiveram duas bases muito legais. O boneco ecológico e a pulseira de macramê. No boneco ecológico foram feitas cabeças de monstrinhos com pedaços de meia-calça. Havia um preparado de terra, areia e sementes de alpiste. Os lobinhos levaram para casa, e devem regar diariamente para crescer o cabelo do monstrinho (brotação do alpiste). Ensinaram também fazer pulseirinhas de macramê. Um trabalho dificultoso, pois exigiu a atenção daquele bando de lobinhos, mas muitos tiveram paciência para terminar sua pulseira artesanal.

Os lobinhos foram acompanhados pelos escotistas Pedro Pedroso e João Kressin.

As  refeições -  Nota 10.

No sábado à noite teve churrasco no CTG, acompanhado das mais variadas saladas e pratos quentes. Depois do jantar foram servidas sobremesas. Foi uma comilança só, pois o jantar atrasou em razão das festividades. Era muito estômago roncando. Mas a comida era farta, e ninguém deve ter ficado com fome. Durante o jantar foram sorteados prêmios aos participantes. A ch. Regina ganhou um bornal térmico; a Bruna uma blusa com capuz; o Maia um cinto e a Náti um medidor pluviométrico.

No domingo foi servido um farto café da manhã e ao meio-dia galeto com massa e saladas.

Os lobinhos ainda tiveram lanchinhos durante a atividade.

Parabéns à organização do evento no quesito alimentação.

A festa.

Depois do jantar de sábado à noite teve festa no CTG, mas não era fandango. O DJ colocou muita música (algumas de gosto duvidoso) que fez com que a galera transformasse o CTG numa grande festa escoteira. Todos cantando, dançando, fazendo as dançinhas etc. A festa terminou à 01:00, quando todos retornaram para o campo escoteiro de ônibus.

A Lis de Ouro

Antes do encerramento foi aberto um espaço no cerimonial para entrega da Lis de Ouro conquistada pela escoteira Bruna Carolina Paludo, monitora da patrulha Àguia. Depois de um breve discurso do Ch. Jota, foi chamado Olmir Paludo para fazer a entrega da honraria máxima do ramo escoteiro a sua filha Bruna. Pai e filha estavam muito emocionados. Esses são acontecimentos que fazem diferença no escotismo. O pai (como muitos outros do GECS) entrou para o movimento escoteiro para auxiliar. Hoje é chefe escoteiro e tem o privilégio de fazer a entrega da Lis de Ouro a sua filha. Parabéns família Paludo.

As Bandeiras:

O hasteamento ocorreu na praça central do município, com a presença de autoridades municipais. No hasteamento chamou a  atenção a troca de posição da Bandeira do RS e da Bandeira do Município. Além desse fato, a bandeira do Município foi hasteada de ponta cabeça.

O arriamento foi realizado no campo central do acampamento. Foi feito um mastro com pioneiria de taquaras e lá estavam todas as bandeiras dos grupos escoteiros presentes. O Homero e a Rafaela se encarregaram da bandeira do GE Cônego Sorg.

Durante a cerimônia de encerramento todos os grupos escoteiros receberam um troféu de pasticipação.

Aconteceu

A Brenda Borges revelou ter boa pontaria. No seu único saque certo acertou na testa dum chefe escoteiro.

Um na cadeira, eu disse dois na cadeira, dois na cadeira, eu disse dois na cadeira .......

Tem lenço novo no pedaço. O lenço do GECS foi concorrido nas trocas de lenços no final do acampamento. Teve chefes de outros grupos que fizeram reserva já no sábado.

Alguém cochilou durante a festa. Com toda aquela barulheira e alguém dormindo, dormindo, dormindo.... veja nas fotos, foi registrado.

Na volta, foram raptadas duas placas de indicação do acampamento. Estão na sede para serem autografadas pelos participantes do ramo lobo e do ramo escoteiro. Esse tipo de “rapto” de lembranças é comum e saudável em acampamentos escoteiros, e servem para ornamentar a sede escoteira para marcar a participação em evento.

(se faltou algo ou alguém avise o ch. Jota para correção)

Participantes

Patrulha Águia

Bruna Paludo (M)

Brenda Borges

Gabriela Pagotto

Tauana Lira Costa da Silva

Samanta Dalsasso

Ana Vitória Metz (SM)

Patrulha Tigre

Rafaela Zanrosso Vieira (M)

Nathália Pedroso

Paola Vianna

Milena Birnfeld

Evelin Bonometti (SM)

Patrulha Falcão

Lucas Kapp (M)

Guilherme Muhl

Gabriel Vill

Leonardo Guimarães

Gustton  Ries (SM)

Patrulha Lobo

Homero Kemmerich (M)

Diogo Dal Castell

Jean Carlos Maia

Henrique Matheus Foltz

Gabriel Duwe

André Víctor Reis (SM)

Lobinhos (em ordem alfabética)

Andres Portella Gobbi

Bernardo Becker Guimarães (S)

Gabriel Barden da Silva

Guilherme Becker Guimarães

Henrique Riss de Oliveira (P)

João Víctor Guimarães

Luana Dallagnol (P)

Mateus Gatto Paludo (P)

Matheus dos Santos Pedroso

Matheus Zart da Silva (S)

Samira Baldo Pimentel (S)

Tácito Meira Camargo

Vinícius Fabro Rodighero

Pioneiro

Jonathãn Kemmerich

Chefia

Carlos Alberto Dal Castell

João Kressin

Olmir Paludo

Pedro Pedroso

Regina Sincas

Apoio

Luciane Streit Pedroso

Salete Martins

Voltar